Brasil é o país mais feliz da América do Sul, diz pesquisa

brasilFeliz

Do site dw Nem só de praia, sol e carnaval vive a felicidade. Ao que parece, ela está mais voltada para as montanhas, os chocolates, os queijos e os relógios pontuais. Na terceira edição do Relatório Mundial da Felicidade de 2015, quem aparece na liderança como país mais feliz do mundo é a Suíça, seguida por Islândia, Dinamarca, Noruega e Canadá.

Finlândia, Holanda, Suécia, Nova Zelândia e Austrália completam o top 10. O Brasil é o 16º da lista — o mais feliz da América do Sul —, atrás dos Estados Unidos (15º), mas à frente da Alemanha (26º) e da Inglaterra (21º), entre 160 países.

Entre os 20 menos felizes constam países asiáticos e africanos, alguns dos mais pobres do planeta. A República Democrática do Congo aparece como o mais infeliz de todos os pesquisados.

O ranking é baseado em diversos fatores, como o Produto Interno Bruto (PIB) per capita, expectativa de vida saudável, sistema de ajuda social e percepção de corrupção ou a ausência dela no governo.

Jeffrey Sachs, da Universidade de Colulmbia, nos Estados Unidos, comandou a pesquisa em nome da Organização das Nações Unidas (ONU) e destacou que os 13 primeiros países da lista são os mesmos da amostragem anterior, apenas com mudanças na posição. Para ele, a fórmula vencedora dessas nações é a relativa riqueza combinada com um forte sistema social e governos responsáveis.

“Países abaixo desse grupo de elite estão aquém tanto nas questões econômicas quanto no suporte social”, declarou Sachs, que espera que os governantes de todo o mundo leiam o relatório com a devida atenção.

“Falando abertamente, queremos que [o relatório] tenha um impacto nas deliberações a respeito do desenvolvimento sustentável, porque acreditamos que isso realmente importa”, disse.

Co-autor do relatório, John Helliwell, também da Universidade de Columbia, disse à TV canadense CBC que, embora a riqueza tenha papel fundamental na questão da felicidade, “a importância de fatores sociais e de normas e redes que aproximam as pessoas” são temas que foram além dos níveis econômicos.

Segundo Helliwell, isso diz respeito a fatores que vão “desde o grau de confiança e colaboração no ambiente de trabalho até o tempo gasto com a família e os amigos, por exemplo.”

Outro co-autor, Richard Layard, da London School of Economics, salientou o grande valor da infância para o grau de felicidade que cada indivíduo pode esperar para a vida adulta.

“Temos que investir muito cedo na vida das crianças. Assim, elas crescerão independentes, produtivas, serão adultos felizes, contribuindo social e economicamente”, concluiu Layard.

Países mais felizes

1º Suíça
2º Islândia
3º Dinamarca
4º Canadá
5º Noruega
6º Finlândia
7º Holanda
8º Suécia
9º Nova Zelândia
10º Austrália
11º Israel
12º Costa Rica
13º Áustria
14º México
15º Estados Unidos
16º Brasil
17º Luxemburgo
18º Irlanda
19º Bélgica
20º Emirados Árabes Unidos

Países menos felizes

141º Togo
142º Burundi
143º Síria
144º Benim
145º Ruanda
146º Afeganistão
147º Burkina Faso
148º Costa do Marfim
149º Guiné
150º Chade
151º República Centro-Africana
152º Madagascar
153º Tanzânia
154º Camboja
155º Níger
156º Gabão
157º Senegal
158º Uganda
159º Comores
160º República Democrática do Congo

Em carta, CUT, OAB e Anamatra reafirmam repúdio à terceirização

11604_962082767159612_5688316946217352693_n

O Fórum Permanente em Defesa dos Direitos dos Trabalhadores Ameaçados pela Terceirização, que inclui organizações como a CUT, Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) e Associação Nacional dos Magistrados da Justiça do Trabalho (Anamatra ), divulgou nota em repúdio a um possível acordo para votação do Projeto de Lei (PL) 4330/2004.

O PL apresenta como principal retrocesso a permissão da terceirização na atividade-fim, a principal da empresa. Com isso, as companhias poderiam existir sem qualquer funcionário diretamente contratado, situação que geraria rebaixamento de direitos e salário.

Para as entidades, a única emenda feita na semana passada, que impede a terceirização na atividade-fim do setor público, é insuficiente para mudar o caráter do projeto.

Nesta quarta (22), Reunidos em assembleia, cerca de 400 pessoas barram uma das entradas da  Câmara dos Deputados como forma de pressionar os parlamentares contra a aprovação da terceirização.

Protestos semelhantes aconteceram em diversas cidades do País.

Nas redes sociais, trabalhadores utilizaram a hashtag #PrecarizaNão para ampliar a manifestação contra o projeto que põe em risco décadas de conquistas trabalhistas. Segundo a CUT, existem atualmente 12 milhões de terceirizados. Caso o texto seja aprovado, esse número subirá para  40 milhões de trabalhadores

Leia abaixo a carta:

“Carta Aberta

Senhores Deputados, 

O Fórum Permanente em Defesa dos Direito dos trabalhadores Ameaçados pela Terceirização, que congrega, além das Centrais Sindicais, Federações e Sindicatos de trabalhadores, como, entre outras, CUT, UGT, CTB, NOVA CENTRAL, INTERSINDICAL, FUP, CONTRAF, INDUSTRIALL, MHUD, entidades representativas do mundo do trabalho como ANAMATRA, ALAL, ANPT, ABRAT, ALJT, OAB, SINAIT, bem como pesquisadores e estudiosos das questões do trabalho, preocupado com notícia veiculada pela imprensa – http://m.huffpost.com/br/entry/7114020?utm_hp_ref=brazil&ir=Brazil – sobre possível acordo que estaria sendo gestado na Câmara dos Deputados na data de hoje, relativamente à votação do PL 4330/04 – que busca regulamentar a terceirização no País de forma lesiva aos direitos dos trabalhadores – vem a público manifestar seu repúdio a esse noticiado acordo eis que não altera substancialmente os pilares originais do PL, mantendo seu caráter altamente precarizador ao admitir a liberação irrestrita dessa forma de contratar para todas as atividades e, inclusive, permitir a quarteirização da alocação da mão de obra, rasgando as conquistas sociais da cidadania brasileira incorporadas pela Constituição de 1988 sob o eufemismo da contratação de empresas especializadas.

No limite, acaso formalizado esse acordo, teremos empresas sem empregados e trabalhadores sem direitos. E isso sem resolver o problema da competitividade e, muito menos, da desigualdade e da representação sindical.

Brasília, 22 de abril de 2015″

Da Redação da Agência PT de Notícias, com informações da CUT

PT dá exemplo contra corrupção e extingue doações empresariais

AgPT_vitrine-1O PT não receberá mais doações de empresas, a partir das próximas eleições, segundo anunciou o presidente nacional do partido, Rui Falcão, na sexta-feira (17). O financiamento empresarial será substituído pela doação exclusiva de pessoas físicas, com valores entre R$ 15 e R$ 1 mil. A decisão atende ao clamor nacional e ao projeto de reforma política defendido pelo PT.

Na última terça-feira (14), o presidente Rui Falcão lançou uma enquete, em sua página oficial no Facebook, sobre o fim do financiamento privado de campanha. O dirigente perguntou aos internautas se o partido deveria ou não abrir mão, voluntariamente, de doações empresariais para financiar campanhas políticas.

Até o momento, 91,7% das pessoas concordaram com a proposta e apenas 8,3% discordaram. A votação computa um total 4.466 votos.

A mudança compreende também a luta encampada pelo partido no combate à corrupção. Exposta com as investigações da Operação Lava Jato, da Polícia Federal, a relação promiscua entre políticos e empresários, iniciada no financiamento eleitoral, sempre foi criticada pelo PT.

Em carta destinada ao partido, divulgada no final da semana, Rui Falcão chamou o financiamento empresarial de “raiz do mal”. Para o dirigente, apesar de previsto na legislação eleitoral e ser praticado legalmente por todos os partidos, este tipo de doação é “danosa à independência e à lisura da atividade política”.

“Não é porque todos os partidos, sem exceção, o praticam que ele se torna menos nocivo, principalmente a partidos como o nosso, que nasceram para lutar não só pela justiça social, mas também por uma política mais limpa e digna”, afirmou Rui Falcão.

Conforme lembrou o dirigente na publicação, as doações empresariais poderiam ter sido proibidas em 2014, caso o Supremo Tribunal Federal (STF) tivesse concluído a votação de ação proposta pela Ordem dos Advogados do Brasil. Entretanto, um pedido de vista do ministro Gilmar Mendes impede, até hoje, a conclusão do caso.

ERRATA: A edição desta reportagem errou ao dizer que o PT é o primeiro partido a rejeitar doações de empresários para campanhas eleitorais. O Partido Socialismo e Liberdade (PSOL) adota a mesma postura desde 2010, segundo o Estatuto da legenda.

Fonte:  Agência PT de Notícias

Etapa Municipal do 5° Congresso do PT

VCongressoPTNatal

O PT de Natal realiza no próximo sábado (25/04), a Etapa Municipal do 5° Congresso do Partido dos Trabalhadores (PT), que acontecerá entre os dias 11 e 14 de junho, em Salvador, na Bahia.

O evento local será realizado a partir das 14 horas, junto com a reunião do Diretório Municipal,  no Hotel Maine. (Av. Sen. Salgado Filho,1791 | Lagoa Nova – Natal/RN)

A reunião servirá também como “Plenária de Formação” para a validação de novas filiações.
Para mais informações acesse:
Abril – Mês de grande mobilização

Convocatória: Reunião do Diretório Municipal

PT Natal (2)

CONVOCATÓRIA

 

O Diretório Municipal do Partido dos Trabalhadores de Natal convoca todos seus  membros titulares, suplentes e presidentes de Zonais, para participar da reunião   a ser realizada, dia 25 de abril de 2015 (Sábado), das 14 às 18h, no Auditório “Gregório Bezerra”, do Sindlimp/RN, cito à Rua Comeaçu, 1097- Quintas- Natal/RN, próximo ao Viaduto da Urbana, com a seguinte pauta:

 

  • Informes;
  • Conjuntura;
  • Instalação do grupo de trabalho para atualização e fortalecimento do projeto petista para Natal;
  • Organização (secretarias, zonais e núcleos), filiações e formação;
  • Encaminhamentos

 

DIRETÓRIO MUNICIPAL DO PT

 

 

Governo propõe salário mínimo de R$ 854 em 2016

carteira-de-trabalho1

O governo federal propôs, na Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO), divulgada na quarta-feira (15) pelo Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão, que o salário mínimo passe a valer R$ 854 a partir de janeiro de 2016. Neste ano, o mínimo está em R$ 788.

De acordo com a proposta do governo, a correção do salário mínimo será de 8,37%. De 2013 para 2014, houve aumento de 8,8%. Além disso, na LDO, há estimativa para que o mínimo passe a valer R$ 900,1, em 2017, e R$ 961, em 2018.

A presidenta Dilma Rousseff assinou, no fim de março, a nova Medida Provisória de valorização do salário mínimo. O texto prorroga até 2019 o modelo de reajuste do rendimento mínimo do trabalhador brasileiro.

A política de valorização do salário mínimo leva em conta a inflação medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) do ano anterior e a variação do Produto Interno Bruto (PIB) de dois anos anteriores.

Fonte: Agência PT de Notícias

Convocatória do Setorial de Educação

Companheiros e companheiras,

O Setorial de Educação do Partido dos Trabalhadores, convoca seus filiados (as) para reunião no próximo dia 16/04/2015 (Quinta Feira), às 18 horas,  sito, Av. Rio Branco, SINTERN, com a seguinte Pauta:

● Balanço dos 100 dias da Secretária de Educação (PT)

Atenciosamente,

Júnior Souto;

Coordenador do Setorial de Educação do PT/RN.

Convocatória da Executiva Municipal

Natal, 10 de abril de 2015.


CONVOCATÓRIA


A Comissão Executiva Municipal convoca todo (a)s os membros titulares e presidentes de zonais para reunião ordinária da CEM dia 14/04/2015, (terça-feira) às 17h, na sede do Diretório Municipal com a seguinte pauta:

  • Informes;
  • Conjuntura;
  • Plano de trabalho para Natal;
  • Organização (secretarias, zonais e núcleos);
  • Encaminhamentos.

Juliano Siqueira

Presidente

Frente de Juventude da Câmara Municipal de Natal se reúne contra redução da maioridade penal

unnamed-1024x1024

Audiência discute licenciamento de motos de 50 cilindradas em Natal

777

Uma audiência pública, proposta pelo vereador Fernando Lucena (PT) debateu nesta manhã (10), na Câmara Municipal de Natal, o regimento e licenciamento de ciclomotores de até 50 cilindradas. A Lei que regulamenta o uso foi publicada em janeiro passado, mas a condução e autorização, incluído todos os trâmites para autorização dos motocondutores ficou a cargo do Departamento Estadual de Trânsito (Detran), por meio de um convênio firmado com o município.

De acordo com representantes das associações dos Usuários de Ciclomotores e dos Revendedores há um descompasso entre as exigência para conceder a habilitação para os donos de motos de 50 cilindradas e os motocondutores de outras categorias. Entre as reclamações, o seguro DPVAT ( Danos Pessoais Causados por Veículos Automotores de Via Terrestre) pago pelos revendedores tem o mesmo valor que motos de maior porte e o percentual para emplacamento é de 15% do valor da moto, enquanto que para carros o percentual é de 5%. Além disso, as autoescolas não estariam oferecendo formação para Autorização de Condutores de Ciclomotores (ACC) como exige o Detran. Nesse caso, os motocondutores estão sendo multado e tendo as motos apreendidas, já que não possuem o documento. “Os clientes não têm condições de pagar tributos altos e é injusto para as revendedoras porque há limitações para uso das cinquentinhas, mas tem que se cumprir os mesmos deveres, por isso tem que ser proporcional”, reclama o presidente da Associação de Revendedores.

O assessor técnico de trânsito do Detran, Felipe Siqueira, explicou que o órgão é obrigado a cumprir a legislação federal no que diz respeito ao valor do seguro para as revendedoras e que, no caso da ACC, cabe aos centros de formação de condutores realizarem a capacitação e habilitarem os usuários. “O problema é que o Detran não pode obrigar os centros a abrirem turmas de formação de ACC. Mas o órgão está aberto para rediscutir o que lhe couber. Se o convênio está irregular, que se peça o aditamento. Se a lei está errada, abra o debate para se reformular. O Detran está aberto ao debate”, disse.

O vereador Fernando Lucena propôs uma reunião com os representantes das associações para que se formule uma pauta a ser levada em audiência com a diretoria do Detran e com o prefeito Carlos Eduardo. “Caso não se resolva dialogando, voltamos com o debate para a Câmara onde vou pedir a reformulação da lei. O que queremos é que se faça justiça e que o dono da cinquentinha não seja obrigado a cumprir com o mesmo que o dono de uma moto grande”, declara o vereador. Ele também propôs que o Detran autorize a Associação de Revendedores a crie um curso de formação em ACC, já que as autoescolas reclamam que não abrem estas turmas porque não há procura.

Fonte: Blog do BG

Foto: Marcelo Barroso

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 38 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: