padre_fabio1Reunida na noite da última sexta-feira na sede do Diretório Municipal, a executiva municipal do PT recebeu a comunicação do pedido de desfiliação do companheiro Padre Fábio dos Santos, feito na mesma data pessoalmente e por escrito ao presidente do diretório municipal, Carlos Araújo.

A carta, lida na reunião da executiva informava a decisão de Fábio dos Santos de aceitar cargo de confiança na administração de Carlos Eduardo, na Secretaria Municipal de Defesa Social, e, por isso, para que não reste dúvidas da participação ou não do PT na gestão pedetista, de se afastar do PT.

“[…] Uma vez que o PT não dispõe de instrumento estatutário que permita o afastamento provisório voluntário, resolvi, com pesar e dor, solicitar minha desfiliação, mesmo mantendo-me firme na defesa dos ideais socialistas e humanitários que me trouxeram ao PT.” ressalta o companheiro em sua carta de desfiliação.

A opção do padre Fábio vai ao encontro do entendimento da maioria da direção e da base partidária de Natal que entende que, tendo o partido decidido democraticamente pela não participação na gestão pedetista, é papel do(a) filiado(a) que quiser assumir cargo comissionado na administração municipal afastar-se do partido e pedir desfiliação, assim como fez antes a hoje secretária Virgínia Ferreira e agora o faz o companheiro Fábio dos Santos.

“[…] Entendo que minha decisão pessoal de participar da administração Carlos Eduardo (PDT) não pode constranger o PT, partido que democraticamente, por meio do diretório municipal, com o amplo apoio da maioria da base de Natal, decidiu manter-se independente e não participar do governo municipal.” Afirma o Padre Fábio na carta, a qual conclui com “um até logo, um até breve”.

A executiva acatou a desfiliação e a atitude do Padre Fábio dos Santos repercutiu de maneira positiva entre os presentes,sendo qualificada por alguns militantes como “um ato de dignidade”, “um gesto nobre”, o qual deveria servir de exemplo aos demais filiados(as) que desejam integrar a equipe de Carlos Eduardo. Atitude que “poderia evitar um desgastante processo disciplinar” asseverou um militante presente à reunião.

Anúncios