576625_594637950570764_413079959_n
.
Em visita ao Rio Grande do Norte na última segunda-feira, 3, a presidenta Dilma Rousseff fez a entrega de máquinas e equipamentos para 149 municípios potiguares, anunciou investimentos em obras viárias e de infraestrutura e afirmou que as a ações anunciadas irão tornar a economia do estado “mais competitiva”. No total, o pacote de obras anunciado representa um investimento total de mais de R$ 1,7 bilhão no RN. A presidenta  anunciou também a duplicação  da Reta Tabajara, que liga os municípios de Natal e Mossoró, a duplicação da estrada de Pipa, o Gancho do Igapó – uma série de obras que vai interligar a BR 101 com o Aeroporto de São Gonçalo do Amarante, além da ampliação do Centro de Conversões de Natal.
 
Entre as obras, Dilma Rousseff anunciou o repasse de mais de R$ 300 milhões a construção da Barragem de Oiticica, entre os municípios de Caicó e Jucurutu, na região do Seridó, que irá beneficiar mais de 500 mil pessoas. Ao comentar a iniciativa, a presidenta disse que a estratégia do governo federal é realizar ações que assegurem um “horizonte hídrico” e deem “segurança produtiva” aos municípios do semiárido nordestino.
 
“A Barragem de Oiticica, durante 63 anos, ficou esperando. Nós temos que fazer obras estruturantes dessa proporção. Por isso que ela é um compromisso do governo federal. O governo vai colocar mais de R$ 300 milhões e o governo do estado vai executar [a obra]. Essas obras têm um objetivo, que é assegurar um horizonte de segurança hídrica. É ter seca e, ainda assim, controlar o nível da água”, declarou.
 
Além da Barragem de Oiticica, Dilma destacou as medidas emergenciais adotadas pelo governo federal para amenizar os efeitos da estiagem no Rio Grande do Norte, como o programa Seguro Safra, que beneficia 46 mil agricultores potiguares e será prorrogado até enquanto durar a seca.
 
A presidenta anunciou, ainda, a criação de um Plano Safra específico para o Semiárido do Nordeste, com o objetivo de garantir a segurança produtiva na região. Dilma disse que o programa regionalizado irá assegurar estrutura, assistência técnica e crédito para os agricultores. 
 
Texto: Alisson Almeida e Rosa Moura
Foto: Vlademir Alexandre
Anúncios