Reunião do Diretório Nacional em Brasília (Foto: Richard Casas/PT)
Reunião do Diretório Nacional em Brasília            (Foto: Richard Casas/PT)

O Diretório Nacional do PT esteve reunido no último sábado (20), em Brasília. O encontro fez parte do calendário de reuniões trimestrais do DN. Na pauta da discussão, apenas o debate sobre a conjuntura nacional.

A presidenta Dilma Rousseff não pode estar presente a reunião, mas enviou uma carta ao Diretório Nacional , onde ressalta a importância da realização de um  plebiscito para a reforma política e diz que, ao lado do ex-presidente Lula, está ouvindo a “voz das ruas” para dar respostas à sociedade brasileira. Confira aqui a carta na íntegra.

Ainda durante o encontro foi aprovada uma resolução partidária sobre o PL 4330. Confira:

.

Em defesa dos direitos e da representação dos trabalhadores

O PL 4330, do deputado Sandro Mabel, representa uma nova tentativa de sabotar uma das grandes conquistas dos trabalhadores brasileiros, que é a legislação trabalhista que assegura, sob o comando dos artigos 7 e 8 da CF, direitos de representação e contratação coletiva.

O projeto pretende legalizar, de maneira ampla e irrestrita, a terceirização em todos os processos produtivos. Isso significa precarizar salários e condições de trabalho, além de desorganizar a estrutura sindical que representa os trabalhadores.

A CUT coordena, com outras centrais sindicais, a resistência a mais esse ataque da direita aos trabalhadores. Por reivindicação dessas centrais, o governo instalou uma mesa quadripartite de negociação, iniciativa que aplaudimos.

No entanto, o lobby dos setores mais atrasados do empresariado continua atuando fortemente junto as deputados pela aprovação deste projeto. Se a negociação não resultar em mudança estrutural do projeto, somente a mobilização poderá impedir o retrocesso para as relações trabalhistas e sindicais.

Nesse sentido, apoiamos a luta da CUT e demais centrais contra o PL 4330 e orientamos as instâncias partidárias a participar dessa mobilização e orientamos nossa bancada a trabalhar pela rejeição do projeto.

Anúncios