microcefalia

O governo federal está atento ao surto de casos de microcefalia no Nordeste. Após reunião com a presidenta Dilma Rousseff, nesta quinta-feira (26), o governador de Pernambuco, Paulo Câmara, anunciou que será enviada, em caráter emergencial, representantes da Saúde e da Defesa Civil a Pernambuco para acompanhar o caso.

Segundo Paulo Câmara, a presidenta demonstrou “preocupação” com o grande número de casos de microcefalia na região e prometeu visitar a região após as viagens marcadas para a próxima semana à França, ao Vietnã e ao Japão.

O governador disse ter apresentado ainda números atualizados para Dilma e para o ministro da Saúde, Marcelo Castro. Até o momento, segundo ele, foram confirmados 175 casos no estado e há outros 470 notificados (que ainda precisam ser confirmados).

A microcefalia é uma condição rara em que o bebê nasce com o crânio do tamanho menor do que o normal. Em razão das diversas crianças que nasceram com a doença, o governo federal criou uma força-tarefa integrada por 17 ministérios para tentar conter o avanço dos casos.

“Um assunto como este tem a preocupação de todos nós e a presidenta também demonstrou muita preocupação. São números que crescem rápido e as crianças que estão nascendo agora foram geradas no início do ano, então toda a investigação e a preocupação é no sentido de que a gente tome ação imediata para que o início do próximo seja com menos casos”, disse à imprensa.

Segundo ele, Pernambuco é o estado no Nordeste com o maior número de casos notificados e confirmados e que, por isso, é preciso contar com ajuda do governo federal para combater a doença. O governador explicou que nos últimos três meses 1% das crianças nascidas no estado estava com microcefalia ou suspeita.

Na semana passada, o governo declarou estado de emergência em saúde pública por causa do surto. A medida serve para garantir que os serviços de saúde tratem a questão da microcefalia com prioridade.

Anúncios