Fatima-bezerra-Jefferson-Rudy-Ag--ncia-Senado-300x198

O primeiro dia do ano legislativo no Senado foi marcado por fortes discursos de petistas na tribuna. Em comum, duras críticas aos constantes ataques sofridos pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

O senador Lindbergh Farias (PT-RJ) classificou as denúncias contra Lula de “ridículas” e reforçou que não existe sustentação para investigar a conduta do ex-presidente. “O presidente Lula apresentou sua declaração de imposto de renda e estava tudo lá”, disse.

Para ele, há uma campanha sistemática contra o petista, que deve ser duramente repudiada. “Nós não vamos ter covardia neste momento”, garantiu.

A opinião foi compartilhada pelo senador Jorge Viana (PT-AC), que alertou para uma “verdadeira caçada” de setores da imprensa e autoridades públicas contra o ex-presidente. “Mas nós não vamos nos acovardar. Vamos reagir”, declarou.
“Na semana em que se descobre a máfia da merenda em São Paulo, o desvio de milhões de reais da merenda das crianças sob um governo do PSDB, a manchete é uma canoa de R$ 4 mil comprada por Dona Marisa!”, criticou.

Viana comparou os ataques à imagem de Lula com as acusações sofridas pelos ex-presidentes Getúlio Vargas e Juscelino Kubistcheck, que teriam sido “difamados, tratados como ladrões” e, após morrerem, os mesmos setores que o atacaram confirmarem a idoneidade e honestidades deles. “E quem os desmoralizou? Quem os carimbou como corruptos? Setores da grande imprensa, em conluio com algumas autoridades e associados com alguns interesses”, destacou.

Para ele, trata-se de uma “ação irresponsável” daqueles que querem audiência ou desviar a atenção de verdadeiros escândalos de corrupção. “Vi veículos de imprensa transformarem uma canoa comprada por Dona Marisa por R$ 4 mil em crime de Estado. Marisa merece respeito dessas pessoas que agem mais como foras da lei do que como defensores da lei”, repudiou.
A senadora Fátima Bezerra (PT-RN) também subiu à tribuna para externar sua indignação com os ataques contra o ex-presidente Lula. Para ela, as investigações abertas contra o petista não têm fundamento jurídico e ocorrem cada vez mais de “maneira mais sórdida e mais leviana”.

“Faço esse protesto com a alma e com o sentimento de quem compartilha com o presidente Lula, em mais de três décadas, do sonho que é realmente termos uma sociedade, um mundo, com inclusão, com generosidade, com justiça para com o nosso povo, porque é disso que se trata exatamente a luta do presidente Lula”, declarou a senadora.

Da Redação da Agência PT de Notícias, com informações do PT no Senado

Anúncios