Educadores, estudantes, sindicalistas e militantes lançaram, na noite desta sexta-feira (2), comitê de apoio da Educação aos candidatos Fernando Mineiro (PT) e Carla Tatiane (PCdoB). O evento aconteceu no comitê da campanha, em Mirassol, e contou com a participação da senadora Fátima Bezerra, além de candidatos a vereador e vereadora da Frente Popular da Cidadania.

Os militantes falaram da agenda conservadora que recai sobre a Educação, fruto do golpe de Estado por que passa o Brasil, e da necessidade de as eleições municipais serem um espaço de disputa da Natal que se quer para as escolas, os professores, as crianças e a juventude.

Comite da educacao_01

Para Mineiro, que é biólogo e professor por formação, é preciso aproveitar a campanha para falar às pessoas que é na vida das cidades que o golpe vai se consolidar. “O comitê de educação vai cumprir esse papel, articulando com os candidatos a vereador e vereadora como chegar à população provocando uma reação ao discurso do Temer”.

O candidato falou, ainda, da aprovação da PEC 241/2016, que estabelece o teto dos gastos públicos limitados à inflação, congelando-os por 20 anos. “É a destruição do que resta da Constituição de 88 em termos de políticas públicas, e nós estamos falando disso na campanha, alertando as pessoas”.

Mineiro falou, ainda, sobre a sua forma de fazer campanha. “Eu faço política por achar que é possível reverter as coisas. Se eu achasse que não, não faria política”. O petista voltou a afirmar que tem certeza do segundo turno em Natal e que está disposto para a luta.

Fátima Bezerra ressaltou que a agenda do governo golpista “é oposta a toda a agenda que vínhamos construindo ao longo dos últimos 13 anos na Educação”. Para a senadora, é preciso estar atento a essas questões no âmbito municipal. “Que esse sentimento se cruze com o desejo de Natal mudar. A Natal que a gente quer tem que começar com uma agenda inclusiva no campo da educação”.

Anúncios