rui-falcao-presidente-pt-foto-lulamarquesagenciapt-5-780x440

 

O ano de 2017 será de muita luta e mobilização para antecipar as eleições diretas para presidente da República. E esta deve ser a pauta principal do Partido dos Trabalhadores neste ano, avalia o presidente nacional do PT, Rui Falcão.

“Nossa pauta principal desse ano é conseguir a antecipação das eleições diretas para que esse governo ilegítimo não continue revogando direitos, promovendo pautas regressivas”.

Para fortalecer a campanha pelas Diretas Já, afirma Falcão, é preciso continuar denunciando e mostrando à população que um governo sem voto e que deu um golpe não tem legitimidade para governar o Brasil, muito menos retirar direitos conquistados.

Entre as pautas do retrocesso impostas pelo usurpador Michel Temer, Falcão cita três principais: a reforma da Previdência; a mudança da legislação trabalhista; e a aplicação da PEC 55, que congela por 20 anos os investimentos em áreas como saúde e educação.

Sobre a reforma da Previdência, o presidente nacional do PT acredita que, para barrar esse ataque aos direitos dos trabalhadores, os deputados precisarão ir as suas bases, as suas cidades e regiões para “conversar com os prefeitos, explicar o que está em jogo, porque isso vai prejudicar muito não só os trabalhadores, mas a economia dos pequenos municípios também”.

Para que o PT consiga enfrentar essa agenda regressiva, Rui Falcão defende que o partido precisa estar bem organizado, mobilizado e “muito junto aos movimentos sociais”.

Debates para o 6º Congresso

Ainda sobre o partido, Falcão falou do 6º  Congresso Nacional do PT, que acontecerá este ano. E lembrou que nesta quinta-feira (19) haverá o lançamento do Congresso, em São Paulo (SP).

Neste lançamento, será distribuído um caderno de contribuições ao debate, com textos de vários dirigentes petistas, no intuito de ajudar a promover a discussão em todas as pautas do Congresso, como estratégia, situação internacional, balanço, reorganização.

“Estamos conclamando a nossa militância a participar dos debates que já se iniciaram, a participar dos debates das teses. Costumo falar da política dos quatro ‘Rs’: Reorganizar o PT, Revigorar o PT, Reorientar nossa estratégia e Retificar nossos erros”, enfatizou.

Rui Falcão acredita que o Congresso terá intensa participação da militância petista. “Nos lugares onde eu tenho ido sozinho ou com o presidente Lula, a esperança e o entusiasmo têm renascido e o Congresso é o momento de fazer essa retomada”, finalizou.

Por Luana Spinillo, da Agência PT de Notícias

Anúncios