O primeiro comitê popular em defesa da democracia e do direito do ex-presidente Lula ser candidato em 2018 foi criado na noite desta quarta-feira (3) na Zona Norte de Natal. Em reunião na sede do Círculo Operário de Igapó, com a presença de militantes do PT, do PC do B e de movimentos comunitários, os participantes dialogaram sobre a importância de manter a pressão social para reagir à tentativa dos setores conservadores de impedir pela via judicial a candidatura de Lula.

Para o deputado estadual Fernando Mineiro (PT), presente ao evento, o comitê é um “movimento amplo, uma tentativa de organizar as pessoas para reagir ao que está acontecendo no Brasil”.

Ele destacou que, no atual contexto político, a defesa do direito de Lula disputar a Presidência da República não é uma bandeira apenas do PT, “mas de todas as pessoas que se preocupam com o restabelecimento da democracia plena no Brasil”.

Mineiro frisou que, desde o golpe contra a presidenta eleita Dilma Rousseff (PT), o governo ilegítimo de Michel Temer (PMDB) deu início à implantação de uma agenda conservadora que ameaça não só as conquistas dos governos petistas, mas também os avanços da Constituição de 1988. O passo seguinte para consolidar esse programa seria, na visão dele, interditar a candidatura de Lula.

“Mas eles não contavam com a teimosia, a resistência e a relação do povo com o Lula. Eles achavam que iam tirar a Dilma e impedir o Lula, mas as coisas não estão acontecendo assim. O Lula continua de pé”, ponderou.
Mineiro lembrou que o julgamento de Lula na segunda instância foi antecipado para o próximo dia 24 pelo TRF-4 de Porto Alegre (RS). Esse fato, segundo ele, é um exemplo da perseguição ao ex-presidente.

“As pessoas se deram conta dessa perseguição ao Lula, mas também perceberam como ele é forte. Uma parte da sociedade tem uma esperança muito grande de que ele vai voltar pra reverter esses ataques, mas esse vai ser um ano de muita disputa. Por isso, precisamos nos manter mobilizados. Eles farão de tudo para condenar o Lula, mas a defesa dele está pronta para recorrer. É uma caminhada longa. Não podemos desanimar com o resultado do dia 24”, enfatizou.

Mudar a correlação de forças

A secretária de Comunicação do PT-RN, Laíssa Costa, observou que muitas pessoas acreditam que “Lula não só vai ser candidato, mas que as eleições já estão ganhas”, quando na verdade “a gente não sabe nem se vai haver mesmo eleição”.

“Não podemos esquecer que não estamos vivendo um estado de normalidade democrática. Nosso papel vai ser o de disputar a opinião da sociedade e mobilizar as pessoas para que se somem a essa luta”, analisou.

Laíssa afirmou que os ataques aos direitos sociais e trabalhistas da população não serão barrados apenas com a eventual eleição de Lula, porque “temos uma correlação de forças desfavorável no Congresso Nacional”.

“Não adianta eleger Lula, mas continuar com o mesmo Congresso e com essa bancada conservadora que representa o RN. É preciso mudar essa correlação de forças para ajudar Lula a reverter os ataques de Temer”, registrou.

No final da reunião, ficou definido um calendário de inauguração de novos comitês populares na Zona Norte. No próximo dia 13, serão instalados comitês no Vale Dourado, Conjunto Aliança, Jardim Progresso, Nossa Senhora da Apresentação, Conjunto dos Garis, Nova Natal e Redinha. Já no dia 20, será no Conjunto Santa Catarina.

Anúncios